Frases de Santos

Homilia › 20/10/2020

Vigilantes – Quarta-feira – XXIX Semana Tempo Comum

 

 

O Evangelho de hoje alerta-nos para o perigo de vivermos uma vida acomodada, não tendo em consideração que não seremos avisados da hora em que o Senhor Jesus vira pedir-nos contas. É preciso acordar desta letargia e buscarmos a vigilância.

Pedro, em vez de se deixar provocar positivamente, pergunta se a parábola é para os discípulos ou também para todos. Parece insinuar que os que seguem Jesus, os crentes e praticantes, possam viver tranquilos. Porque, então, dirigir-lhes um discurso tão inquietante?

Diante da inquietação de Pedro Jesus responde com outra parábola, a do administrador fiel. Portanto, fica claro que é para todos, pois a todos Deus confiou responsabilidades. E a cada um de nó cabe um bom exame de consciência se estamos administrando bem os bens que Deus nos confiou. Pois, a cada um nos foram confiadas responsabilidades. A uns mais e a outros menos. E cabe a cada um cumprir com responsabilidade a missão que Deus nos confiou.

Somos convocados a estar preparados. Estar preparado quer dizer, entre outras coisas, nos preocuparmos com nossa formação intelectual e espiritual. Senão teremos dificuldades de entender e dar respostas diante dos desafios de hoje.

Jesus pede aos seus discípulos que fiquem atentos. O verdadeiro Discípulo é aquele que está atento aos ensinamentos do mestre e vigilante para cumpri-los em todo momento.

Não podemos vacilar. Quem vacila, deixa de viver os mandamentos e deixando de vive-los, abre brechas para o erro e o pecado. Por isso preciso buscar trabalhar minha formação em relação a doutrina da igreja e fortalecer minha vida contemplativa.

O mais importante é não descuidar da vida contemplativa. Pois, pela graça do Espírito em nós, abre os olhos do nosso coração para os horizontes ricos e maravilhosos da nossa fé.

Sem vida de oração não há santidade de Vida. Quando busco estar aos pés do mestre, meditando e contemplando, a exemplo da virgem Maria, que meditava e guardava tudo no Coração, não me deixarei ser invadido por ocupações e preocupações, que me afogue na euforia dos sucessos ou me deprima nas planícies do insucesso.

Se me deixar cativar pelo maravilhoso mistério de Cristo que, dia a dia, a Palavra me revela e narra, não serei como o servo descuidado e esquecido do regresso do Senhor, não me deixarei perder nos caminhos do egoísmo ou dos desvarios. Pelo contrário, avançarei pelas vias da ação confiante na grande força que Jesus me dá para viver e fazer brilhar aos olhos dos irmãos as maravilhas do seu amor.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.