Frases de Santos

Notícias › 09/06/2020

Sobre a matéria do jornal Estadão!

Nesse momento tão cruel da história da humanidade, “toda POLARIZAÇÃO é nociva! Na reunião em questão, pessoas de bem estavam em busca de um caminho para o Brasil. Manipular essa notícia é aumentar o desgaste que já́ chegou ao nível do absurdo. Se há católicos com má intenção, o juízo de Deus mostrará! Pelos frutos os conhecereis!

O Jornal o Estado de São Paulo (Estadão), em uma matéria “FAKE NEWS”, com o título “Por Verbas, TVs católicas oferecem a Bolsonaro apoio ao governo”. Mais uma vez oferece um desserviço à população brasileira. De forma tendenciosamente, 15 dias depois de uma reunião pública, que de forma tendenciosa tentou distorcer o intuito da reunião da Frente Parlamentar Católica com o presidente Jair Messias Bolsonaro.

Nos chama a atenção o fato desta matéria ter sido publicada tanto tempo depois da reunião. “Reunião esta, que foi e é pública”, vez que, transmitida pelas redes sociais dos participantes, do Presidente da República e ainda pela TV BRASIL. Todos podem acessar o material e verificar o conteúdo da reunião, de forma transparente.

“Pareceu maldade encomendada” portanto, antes de atirarmos pedras é preciso entender os fatos e checar as fontes. como vemos no vídeo da referida reunião, que foi iniciativa da Frente parlamentar Católica do Congresso Nacional, vemos um grupo de Deputados católicos e representantes de Tv’s e Rádios Católicas.  veja a lista dos participantes:

 

Para chegarmos a verdade, segue a transcrição da fala dos quatro representantes de emissoras católicas que participaram da reunião:

Padre Eduardo Dougherty (TV Século 21)Grande abraço a todos, senhor Presidente, meus amigos da TV Católica. A TV Século 21 está em Campinas e nós estamos animando o povo brasileiro, incentivando, dando mensagem espiritual para esse povo, porque estão confinados, estão com medo, estão desanimados, desorientados e tristes, talvez, perdendo o seu emprego. Sou jesuíta estrangeiro, sou americano, estou aqui no Brasil há 54 anos, estou fazendo 50 anos de sacerdócio. Os jesuítas são formadores e a TV Século 21 tem incentivado muito sobre a necessidade educação à distância. Estamos desenvolvendo cada vez mais cursos de educação à distância. Estou muito interessado em cursos do ensino básico, ensino médio, para ajudar a educar o povo brasileiro. Os jovens estão hoje com seus celulares, temos não apenas a televisão, mas os celulares. Sou Americano, estou aqui há muitos anos e estou frustrado, estou pedindo há dois anos um passaporte para ser cidadão brasileiro e não sai…Por favor, me ajude a ser brasileiro para votar aqui no Brasil. Outra coisa, eu gosto muito de tecnologias, eu tenho tecnologias que podem ajudar o Brasil , eu estou querendo apresentar isso, mas tudo está fechado. Para a Secretaria de Agricultura tenho tecnologias inovadoras que tem têm solução para com os rios, para o lixo. Tenho contato e investidores que estão dispostos a virem e, tomara que logo mais eu possa está conversando com as pessoas para produzir as novas tecnologias. Se a tecnologia é aprovada nos Estados Unidos por que não pode ser aprovada no Brasil fazendo testes também? Tem certas coisas que não entendo. Mas eu oro pelo Presidente, para que tenha o dom da sabedoria e da fortaleza. Grande abraço. Deus vos abençoe todos.

João Monteiro de Barros Neto, leigo proprietário da Rede Vida de TelevisãoBoa tarde líder Major Vitor Hugo. Presidente o senhor é uma grande esperança para todos nós, o senhor eleito é um grande defensor das famílias. O senhor tem valores morais, valores éticos, cívicos e cristãos. Por isso mesmo, o senhor é uma grande esperança para nós, veículos de comunicação da Igreja Católica e nós temos a missão de fazer uma programação ética, uma programação de verdade, uma programação que valoriza a família. Portanto, Presidente, nós temos muito em comum. Nós queremos muito colaborar com a comunicação verdadeira, transformadora. Presidente, um dos grandes atos do senhor no campo da comunicação foi ter editado no mês de abril a possibilidade dos veículos de comunicação de televisão fazer multiprogramação. Assim como TV pública se pode fazer uso do canal 1, 2,3 …agora, nós, emissoras comerciais também podemos fazer. Eu quero dá uma informação para o senhor, Presidente, dentro de 15 dias, no máximo 30 dias, a Rede Vida vai utilizar esse recurso , que é a multiprogramação, para ajudar o  povo brasileiro na área da educação , nós vamos começar a dá aula no nosso sub canal para o Fundamental 1. Nós acreditamos na transformação da sociedade pela comunicação, Presidente. Por isso que precisamos do seu apoio. Nós precisamos que aquilo que o senhor sempre disse, que é prestigiar os meios de comunicação que dão valor à família, que dão valor aos costumes, que dão valor à vida, possam ser prestigiados verdadeiramente. Nós confiamos que isto vai acontecer, por isso mesmo nós pedimos que o senhor nos apoie todos os veículos de comunicação da Igreja. Presidente, nós chegamos hoje a todas as capitais brasileiras. A Rede Vida é a quarta maior rede de televisão digital do país. Nós chegamos a mais de 120 milhões de brasileiros , mas para que possamos crescer mais e ter mais audiência, nós precisamos de investimentos, Investimentos, Presidente, que nós da iniciativa privada, já fazemos há mais de 25 anos , portanto, nos tornamos a quarta maior   rede de televisão do país, juntamente com todas as outras redes nós somos um complexo de comunicação da Boa Notícia. Por isso pedimos o seu apoio Presidente para continuarmos fazendo todo o nosso trabalho. Termino fazendo um convite ao senhor: quando o senhor foi eleito entre o primeiro e segundo turno deu uma entrevista para nós, Rede Vida, TV Aparecida e mais alguns veículos católicos, logo depois de eleito, deu uma entrevista para o José Maria Trindade. Nós queremos que o senhor ocupe mais os nossos espaços, nos concedendo mais entrevistas, falando diretamente com o povo católico brasileiro, mas também com quem não é católico, mas tem em seu cerne a defesa dos valores morais. Presidente são vários eventos que fazemos ao longo do ano, todos os veículos de comunicação juntos, e nós queremos que o senhor esteja mais perto da gente , portanto, nós nos colocamos à disposição, e acredito que a Rede Vida pode dá uma grande contribuição para o povo brasileiro através dos valores da família e defesa da vida.

Padre wellington Silva, representante da TV Pai EternoSou Padre Wellington Silva, represento a TV Pai Eterno, a emissora mais jovem das TV’s Católicas do Brasil, que no último dia 15 de maio completou 1 ano de existência. Presidente, como veículo de comunicação católico nós sentimos a necessidade de criarmos uma proximidade maior com a Secretaria de Comunicação da Presidência da República para que possamos estar unidos numa pauta mais positiva das ações do Governo em atenção às necessidades da Igreja Católica, que atua nas áreas como a Frente Parlamentar já destacou, na Defesa da Vida , na ação social, no  terceiro setor  e  saúde . A nossa realidade é muito difícil e desafiante porque trabalhamos com pequenas doações, trabalhamos com baixa comercialização e dentro desta dificuldade estamos precisando mesmo de um apoio maior por parte do Governo para que possam continuar comunicando a Boa Notícia e também levando ao conhecimento da população, que é a ampla maioria desse país, que é a população católica – principalmente nesse tempo de pandemia –   está ligada nos veículos de comunicação, ligada nas nossas televisões , aquilo que de bom o Governo pode está realizando ou fazendo pelo nosso povo . Chamo atenção para isso Presidente porque nós sentimos esta necessidade, chamamos atenção para esse que é um segmento que tem muitas vezes ficado esquecido , que é o segmento de comunicação católica nesse país, onde nós precisamos ter mais atenção para que esses microfones não sejam desligados, para que essas câmeras não se fechem diante de uma realidade tão importante a ser mostrada aos nossos telespectadores, que é a comunicação a serviço da vida. Muito obrigado.

Padre Reginaldo Manzotti, fundador da TV EvangelizarBoa tarde a todos, deputados, deputadas, meus irmãos sacerdotes e todos da comunicação. Eu sou de Curitiba, nosso objetivo é evangelizar por todos os meios de comunicação, pois eu falo para 1600 emissoras de rádio, das 10h às 11h, horário ao vivo. Então a penetração, a capilaridade dessa rede são muito grandes. É quase maior que a ‘Voz do Brasil’, se formos pensar e pela TV. Eu digo que, mais do que nunca, as pessoas estão necessitadas desta palavra. E é por isso senhor Presidente que é muito importante esse olhar que o senhor possa dar, olhar mais atencioso para TV católica e as rádios católicas. Nós, e digo a partir dos meus irmãos, nós temos um grande desejo de, por exemplo, apresentar um projeto ao senhor e ao seu ministério, que se chegue a todos os lares que é o ideal, uma questão de outorga de transmissão. Eu gostaria de dizer alguns pontos que gostaria de apresentar que são necessidades nossa. Volto a repetir, já falo, gostaria de me aproximar ao Governo para poder fazer essa proposta positiva, isenta, proposta de realmente levar esse trabalho e fazer com que ecoe desde os ribeirinhos até as grandes capitais. É preciso que caminhe o processo de radiodifusão, eu sei que o tempo da pandemia fez parar tudo, mas o senhor é aquele também que está instigando para que as coisas possam acontecer Presidente Bolsonaro. É preciso agilizar as transferências de outorga, particularmente, tenho algum ali na Casa Civil alguns processo de digitalização de toda radiodifusão …é…está precisando das rádios AMs e nós temos muitas rádios AMs. Claro que a liberação de RTVs , maiores liberações para ampliação das redes católicas. Não falo só em meu nome, nós somos uma potência, nós queremos estar nos lares, nós queremos ajudar a construir esse Brasil, e mais do que nunca, o senhor sabe o peso que isso tem quando se tem uma mídia negativa. Nós queremos estar juntos . Liberação de RTVs para ampliação das redes católicas, agilidade, senhor Presidente, na aprovação dos projetos técnicos e aprovação das localidades e se me permite dizer, como que nós podemos, peço em  meu nome, peço como rede católica, maior acesso ao Ministério da Comunicação, à  ANATEL, porque nós queremos caminhar, construir juntos senhor Presidente , senhor ministro e todos os deputados que estão . Por isso receba o nosso abraço, ao mesmo tempo, o nosso desejo de caminhar e construir um Brasil melhor como é o seu grande anseio.

 

Concluímos que existe uma maldade e um ma intenção da parte editorial do Jornal O Estado de São Paulo (ESTADÃO). Diante da posição da assessoria de imprensa da CNBB, se percebe uma falta de coerência, por não ir a fundo nos fatos, com isso gerando mais confusão.

segue abaixo uma carta de Dom Peruzzo ao clero de Curitiba e notas de esclarecimento da rede Seculo 21 e Aliança de Misericórdia:

Carta de Dom Peruzzo, Bispo de Padre Reginaldo Manzotti ao clero da Arquidiocese de Curitiba

Curitiba, 08 de junho de 2020

Caríssimo Padre,

Escrevo-lhe para comentar e explicar sobre o acontecido deste final de semana, envolvendo o nome do Pe. Reginaldo Manzotti e TV Evangelizar em intensa celeuma midiática. Parece importante esclarecer para que não prevaleçam interpretações distorcidas. Tomei a inciativa de lhe expor a ordem dos fatos, pois que as hermenêuticas são as mais desencontradas.

No dia 21 de maio o Pe. Reginaldo me ligou consultando-me se deveria ou não participar de uma reunião online, proposta pela assessoria da presidência da República. Tal reunião seria no final da tarde daquele mesmo dia. Disseram que o presidente queria ouvir os pleitos das emissoras católicas. E Pe. Reginaldo deveria responder em um prazo exíguo, no mesmo dia. Ponderei a ele que não gosto nem um pouco do atual presidente. Todavia, no segmento das comunicações, quase tudo depende de autorização governamental. Qualquer meio de comunicação de rádio ou TV é concessão do Estado. Hoje, se não forem mantidos canais de diálogo, multiplicam-se severamente as retaliações. Foi assim também no passado, independentemente dos governos e grupos partidários. E o governo de agora é o que agora governa. Não existe outro.

Minha recomendação foi que participasse da reunião, mas que fosse cuidadoso no que falaria. Que não houvesse nem lisonjas nem hostilidades da parte do padre. Era uma reunião aberta, registrada, acessível ainda hoje a todos. Aconteceu em 21 de maio. Sobre o acontecido não surgiu nenhuma matéria jornalística até o sábado, dia 05.06. Foi então que, após 16 dias, o jornal o Estado de São Paulo estampou a seguinte manchete: “Ala da Igreja Católica oferece apoio ao governo em troca de verbas”. E foi esse o teor da reportagem.

O encontro foi promovido pelo grupo de parlamentares católicos. Vários setores das comunicações católicas apresentaram seus pleitos. As bajulações ficaram por conta dos parlamentares, mas não dos diretores das emissoras católicas, a não ser algumas expressões folclóricas de um tal que desconheço. O Pe. Reginaldo se pronunciou por apenas cinco minutos ou menos. Poderá ouvir sua fala abaixo. Foi tão somente uma apresentação legítima do segmento das rádios e TVs.

A reportagem do Estadão foi inteligentemente malévola: divulgou o acontecimento com grande tardança e os apresentou em distorções grosseiras. Outros grandes jornais do país também acompanharam e nada publicaram. Acaso o Estadão é o único “concessionário da lucidez”? Pareceu maldade encomendada.

Tudo se tornou ainda mais debatido depois da nota do setor de comunicações da CNBB. Também foi uma nota infeliz. Foi detrativa. Embora especialistas, tomaram como veraz uma reportagem viciada. E puseram-se a falar que a Igreja não aceita barganhas. É uma pena que chamaram de barganha o que e quem nada barganhou. Basta verificar e acompanhar toda a reunião. Quem barganhou?

Caro Padre, decidi escrever estas linhas para que saiba do conjunto dos fatos e possa conversar com quem lhe perguntar. Não escrevi para justificar. Tem também o direito de discordar. Mas impressiona o grau de desfiguração intencionada dos fatos. Vivemos tempos em que parece natural sofisticar a maldade.
Deixo-lhe um abraço.

Dom Peruzzo

 

NOTA DE REPÚDIO E ESCLARECIMENTO – Aliança de Misericórdia

A Aliança de Misericórdia repudia a matéria publicada pelo jornal “O Estado de São Paulo” em 6 de junho de 2020, sobre reunião mantida em 21 de maio com o Presidente Jair Bolsonaro e alguns líderes católicos, dentre eles o nosso fundador Pe. João Henrique (Enrico Porcu).

Como pode ser constatado pela gravação integral da reunião (https://www.youtube.com/watch?v=Mcj_PzrFby4 – minutos 47:20 a 50:12), a curta fala do Pe. João Henrique tem conteúdo exclusivamente espiritual. Também não temos qualquer desavença com a CNBB, como sinaliza a matéria.

Nossa missão e valores são irrenunciáveis! Desejamos ser uma expressão viva do amor misericordioso que brota do coração de Deus, concretizando ações que transformem a vida dos mais pobres materialmente e espiritualmente, restaurando sua dignidade como seres humanos e filhos de Deus.

Atuamos com os excluídos da sociedade (povo de rua, presidiários, pessoas em situação de miséria, drogadição e prostituição) e em defesa dos valores cristãos, em particular: a vida, a família e a justiça social. Para tanto, mantemos constante diálogo e parcerias com o poder público em todas as esferas de governo (federal, estaduais e municipais), independente de partidos políticos ou crenças religiosas. JAMAIS solicitamos qualquer vantagem ou verba pública em troca de apoio político. Todo apoio que recebemos, seja público ou privado, se dá de maneira transparente e nos estritos termos da lei.

Nestes 20 anos de atuação no Brasil, recebemos vários reconhecimentos por nossa transparência, administração e pelos frutos de nosso trabalho.  Convidamos a todos a visitarem nosso site www.misericordia.com.br e verificarem nossa atuação.

São Paulo, 6 de junho de 2020.

Pe. Rodrigo Custódio A. Ramos
Presidente

Pe. João Henrique
Fundador

 

 

Nota de esclarecimento da Rede Século 21

 

No dia 21 de maio do presente ano, alguns deputados da frente parlamentar católica organizaram uma reunião de lideranças de orientação católica com o presidente da república Jair Bolsonaro, tratando sobre: a defesa da vida, a defesa da família, políticas públicas de enfrentamento à pandemia, aprovação da medida provisória 894, a Lei 13.985/2020, o avanço da ADPF 442 (que prevê a possibilidade de Aborto até a 12ª semana), o Ministério de Direitos Humanos, Mulher e Família, o projeto Tempo de Aprender ( Ministério da Educação), a questão do turismo religioso e a de entidades caritativas de orientação católica.

A participação de Padre Eduardo Dougherty, sj, na reunião remota com Presidente Jair Bolsonaro, deputados e outros representantes de entidades de inspiração católica, foi um convite feito a ele por parte da liderança do governo na Câmara e que gerou diversas repercussões na mídia coletiva, entra elas, suposições de pedidos por troca de apoio, e até mesmo verba. O que é uma inverdade! Não condiz com a realidade dos fatos, já que fundador da Rede Século 21, não fez nenhuma menção a este assunto.

Vale ressaltar que no Catecismo da Igreja Católica, a partir do parágrafo 2239, fala claramente: “É dever dos cidadãos colaborar com os poderes civis para o bem da sociedade, num espírito de verdade, de justiça, de solidariedade e de liberdade. O amor e o serviço à Pátria derivam do dever de gratidão e da ordem de caridade. A submissão às autoridades legitimas e o serviço do bem comum exigem que os cidadãos cumpram seu papel na vida da comunidade política. ”

Sobre estes deveres é missão e tradição da Igreja rezar pelos seus governantes, favorecer o bem comum da nação, independente de quem seja o líder, ou a que partido pertença. O Padre tem a obrigação sacerdotal de mostrar o caminho de Deus a todos, inclusive os descartados do mundo e os vulneráveis em sua dignidade. É uma missão cristã de colaborar com o cuidado a casa comum.

Por isso em seu pronunciamento, padre Eduardo enfatizou a possibilidade de importação tecnológica para o controle ambiental e também no setor da educação a distância (projeto este já desenvolvido por ele para a promoção social). Toda a intenção se volta para geração de renda e de empregos à sociedade. Em nenhum momento Padre Eduardo propõem troca de favores ao Governo ou pede apoio em troca de verbas.

A respeito do passaporte (mencionado por alguns órgãos de imprensa), se trata de um problema que há anos complica sua vida e missão no Brasil, impossibilitando o mesmo, de se tornar um cidadão brasileiro e caminhar junto ao povo com os mesmos direitos de qualquer cidadão.

Encerramos aqui dizendo que a Rede Século 21 tem o compromisso com a verdade, pois segue nosso Senhor Jesus Cristo, que é a própria VERDADE E VIDA!

A Rede Século 21, vem por meio desta, expor na íntegra o discurso feito pelo seu fundador, Padre Eduardo Dougherty,sj, a fim de esclarecer que nenhum pedido ou troca de favor foi feito. Discurso este que é público e foi transmitido ao vivo pela TV Brasil, o que reforça mais uma vez a transparência dos fatos.

Link do vídeo: https://www.facebook.com/tvbrasilgov/videos/2964226083653038/

43:26- Ministro: Eu passo a palavra para o Padre Eduardo da TV Século 21

Padre Eduardo o som não está saindo

43:46- Padre Eduardo Dougherty, sj: Estão me ouvindo agora?

43:47- Ministro: Agora sim

43:49- Padre Eduardo Dougherty,sj: Que bom. Grande abraço a todos, Presidente, meus amigos da TV católica. A TV Século 21 está em Campinas, e nós estamos animando o povo brasileiro. Incentivando, dando mensagem espiritual para esse povo, porque estão confinados, estão com medo, estão desanimados, desorientados e tristes talvez perdendo (…)perdendo seu emprego, ficando desempregados. Agora sou jesuíta, sou jesuíta estrangeiro, sou americano, estou aqui no brasil a quarenta e (…) cinquenta e quatro anos, e agora estou fazendo cinquenta anos de sacerdócio. Agora nós jesuítas somos formadores, e a nossa TV Século 21 tem enfatizado muito educação à distância, entendeu? E nós vamos desenvolver cada vez mais cursos de Educação à distância, estou muito interessado em cursos do grupo escolar de ensino básico de ensino médio de ajudar a educar o povo brasileiro. Os jovens hoje estão com seus celulares, nós temos que, não apenas televisão, mas agora celulares. Sou americano, estou aqui há muitos anos, e eu estou frustrado. Estou há dois anos pedindo um passaporte para ser cidadão brasileiro, e não sai. Por favor, me ajuda a ser brasileiro, para votar aqui no Brasil. Outra coisa, eu gosto muito de tecnologias e eu tenho tecnologias que podem ajudar o Brasil. Estou querendo apresentar isso, mas está tudo fechado: a secretaria de agricultura. Tenho tecnologias inovadoras que tem que ser solução para os rios, solução para o lixo. Tenho contatos, tenho investidores que estão dispostos a vir, e tomara que logo mais, logo mais eu possa estar conversando com as pessoas para introduzir novas tecnologias. Se uma tecnologia é aprovada nos Estados Unidos, por que tem que ser aprovada aqui no Brasil, fazendo testes também? Tem certas coisas que não entendo. Mas eu oro pelo presidente que tenha o dom da sabedoria e o dom da fortaleza. Grande Abraço. Deus vos abençoe a todos.

46:24- Ministro: Muito obrigado, Padre Eduardo (…)

Rede Século 21

 

 

Assista o vídeo da reunião na integra na integra:

 

 

 

Por: Letícia Ap. Couto

 

2 Comentários para “Sobre a matéria do jornal Estadão!”

  1. Amabilia Maria de Souza disse:

    Já imaginava Padre que era mais uma das armadilhas do mal e de pessoas que acabam sendo instrumentos do mal mediante tudo isso que estamos vivendo aí vem mais uma investida e as pessoas caem. Padre se puder publique isso no face

  2. Regina Alves Pereira disse:

    Este (…) de jornal a muito deixou de ser confiável, portanto o Cristão Católicos e o povo em geral não damos crédito a este lixo que defende o comunistas os corruptos os bandidos e é contra o povo brasileiro do bem contra as famílias é um desserviço este jornal não merecedor nenhum crédito. Lamentável que temos que conviver com este tipo de comunicação.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.