Frases de Santos

Formação › 23/11/2020

Por meio da Encarnação realiza-se a nossa Salvação

 

Outro ponto fundamental em relação à revelação de Deus e à Encarnação são os dados soteriológicos, ou seja, desde o início do cristianismo, os cristãos trazem a certeza da salvação que recebemos de Deus por meio de Jesus e, para nós, este é um dado fundamental. Para Santo ATANÁSIO “o verbo se abaixou ao ponto de se tornar visível corporalmente para chamar a si os homens, atrair para si os sentidos deles: viam-no humano, mas autor de obras superiores às humanas, persuadiam-se de que era o próprio Deus, o Verbo e a Sabedoria do verdadeiro Deus[1]. Portanto, a vida pública de Jesus foi voltada para o anúncio do Reino de Deus e todos os milagres realizados por Ele, fazem parte da revelação do mistério da salvação, ou seja, os milagres fazem parte da obra reveladora que se destina a revelar a salvação que o filho de Deus se dispõe. Portanto, ao mesmo tempo em que Jesus se revela como Filho de Deus mostrando-nos o rosto de Deus Pai, Ele também revela-nos o caminho da salvação por meio do mistério Pascal, Paixão, Morte e Ressureição[2]. SESBOÜÉ também afirma que a revelação realizada em Jesus tem como perspectiva a salvação:

Desde os primeiros tempos da fé cristã, a certeza da salvação recebida de Deus em Jesus Cristo é o dado fundamental, aquele em torno do qual se articula todo o mistério de Deus e do homem, do homem criado à imagem de Deus e em vista de ver a Deus, de Deus que se dá um parceiro, como diz Irineu, ‘para ter alguém em que depositar seus benefícios’. Desde a criação a perspectiva da salvação é primeira: é em torno dela que toma corpo toda a revelação realizada em Jesus Cristo[3].

Jesus aceita livremente o sacrifício da cruz sendo obediente (Cf. Fl 2,6-8), a dor da criação é assumida pelo Crucificado, Jesus quis ser a vítima da injustiça e do mal deste mundo, Ele se fez vítima por todos[4]. Sua morte é o cumprimento final da obra redentora e o “núcleo fundamental de revelação enquanto é a expressão mais profunda da ‘kenosis’ de Deus e uma verdadeira manifestação trinitária. Nela, com efeito, Jesus se revelou como Filho e mostra sua estreita relação com o Pai. Em sua morte Deus se revela como é; nela há uma verdadeira manifestação de Deus na qual ele vem radicalmente ao nosso encontro e se entrega a nós como Amor e por amor”[5]. Portanto, toda obra salvífica realizada em Cristo provém do Pai (Cf. Gl 4,4ss).

Concluímos que, em Jesus Cristo, a revelação e a salvação se relacionam e são elementos fundamentais e indispensáveis da comunicação de Deus[6].

 

Pe. Leandro Couto

 

_____________________________________________

[1] Santo ATANÀSIO, Sobre a Encarnação do Verbo in Cirilo Folch GOMES, Antologia dos Santos Padres, 1980, p. 208.

[2] Cf. Carlos Ignácio GONZÁLES, Ele é a nossa Salvação, 1992, p. 112-113.

[3] B. SESBOÜE, Cristologia e Soteriologia. Éfeso e Calcedonia (Séculos IV-V), in Bernard SESBOÜÉ; Joseph WOLINSKI, O Deus da Salvação, 2005, p. 292. (Tomo 1).

[4] Cf. PUEBLA n. 194.

[5] Octavio Ruiz ARENAS, op. cit., p. 119.

[6] Cf. PUEBLA n. 352-354.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.