Frases de Santos

Artigos › 22/12/2020

O PODER DO CRISTÃO AUTÊNTICO

Pensar na vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, para todo Católico é uma alegria, uma ansiedade, uma expectativa, ou ao menos deveria ser. Veja, São João Paulo II, na encíclica Christifideles laici, pontua que: “o homem é chamado a ser filho no Filho”. Isso quer dizer que, Deus, na segunda Pessoa da Santíssima Trindade, não somente nasceu no dia 25 de dezembro, no Natal, nos deu a Santíssima Virgem Maria como Mãe, morreu para nos salvar, libertar da morte, como também através Dele, do sacramento do Batismo, vem com alegria habitar em nós e Ele por ser Filho nos faz filho de Deus, como Deus. Eis que deixamos de ser meras criaturas para ser filhos.

“Sede santos como Vosso Pai é Santo.” Ou dependendo da tradução: “Sede perfeitos como Vosso Pai é Perfeito.” (MT 5, 38)

A Inabitação Trinitária, ou seja, eu sou templo do Espírito Santo, Morada do Altíssimo, ou ainda mais objetiva e direta: dentro de mim literalmente Deus habita. Não é uma metáfora, não é algo que se diz simplesmente para ser alguém melhor. É fato, é real. E é por isso que não somente é possível a santidade, mas uma obrigação de todo católico. É um poder, direito nosso não por mérito, mas por graça.

A vinda de Deus em nós através da graça batismal, nos eleva a participar da vida divina. No entanto requer esforço para viver por Cristo, com Cristo e em Cristo. Eis aí a importância da oração, do jejum, da penitência, da Eucaristia, da Confissão, de uma vida em busca dos Três: Pai, Filho e Espírito Santo. De viver consciente desta verdade. Do contrário é viver como muitos vivem por aí: moram na mesma casa, comem, e até dormem juntos, no entanto se sentem só, pois, não se é dada a verdadeira atenção para o outro, não se deixa e nem nota a presença de quem habita ali.

Deus é, e nós “…somos eternos no pensamento de Deus:…” (Beato Frei Maria Eugênio do Menino Jesus, ocd). Com Ele de verdade podemos atravessar o mar vermelho, cheio de tribulações, tempestades, mas isso requer determinação, fé, não desistir de quem jamais desisti de nós. Mas novamente é necessário viver na Presença Dele, então tem que fazer as coisas consciente que Deus está ali, tem que conversar com Ele, se importar com Ele, usufruir dos nossos direitos de filhos e não abrir mão por qualquer coisinha finita.

Reviver o Natal é um chamado, a lembrar o dia que fomos batizados, na fé em Jesus Cristo. E também é um alerta, pois o Senhor já está perto e um dia virá, de fato não sabemos o dia e nem hora. Mas cremos e temos consciência que sozinhos não estamos, pois Deus habita em nós. E não há nada o que temer, só o que buscar: a conversão e uma vida de oração, santidade, Eucarística, em união. Afinal a Cruz do Calvário é a única escada para o Paraíso, Alegremo-nos e Nele Exultemos!

Até o fim de um brevíssimo segundo.

Tags:

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.