Frases de Santos

Homilia › 04/04/2020

Jesus morto e ressuscitado único e verdadeiro Rei e Pastor

Hoje somos convocados a assumir nossa pertença a Deus, ficar com Jesus e ir com ele até o calvário, para depois ressuscitarmos com ele. A Decisão é pessoal. Cabe a cada um de nós corresponder ou não. A liturgia de hoje nos mostra o caminho a ser seguido.
Ezequiel anuncia o regresso do povo de Israel do exilio e a reunificação do povo sob a orientação de um rei-pastor. A promessa de Deus é uma aliança eterna. O espirito do Senhor repousa sob o povo, e o povo é chamado a repousar na Terra de seu Deus, em paz e em prosperidade. Deus está para sempre no meio de Seu povo “assim as nações saberão que eu, o senhor, santifico a Israel.
A leitura do trecho de Ezequiel de hoje, apresenta-nos um Deus amoroso, que quer reunir seus filhos e uni-los em uma mesma causa, que é o seu reino. “Eu mesmo vou tomar os israelitas do meio das nações para onde foram… farei deles uma nação única… Eu os libertarei de todo pecado que cometeram em sua infidelidade, e os purificarei… Meu servo Davi reinará sobre eles, e haverá um único pastor… Farei com eles uma aliança de paz, será uma aliança eterna”. (Cf. Ez 37,21-26). Assim como um pastor que tem 100 ovelhas e uma delas se perde, ele deixa as 99 para ir atrás da que se perdeu. É assim que o senhor faz conosco. O Senhor está sempre pronto para nos resgatar dos nossos pecados, das nossas misérias, dos caminhos tortuosos por onde andamos.
Podemos perceber que a profecia de Ezequiel está intimamente liga com o evangelho de São João. “Não percebeis que é melhor um só morrer pelo povo do que perecer a nação inteira (Jo 11,50). A intenção de Caifás era desfazer-se de Cristo para salvaguardar os interesses políticos do país; mas no plano de Deus, é a morte de Jesus, acontecimento inigualável de alcance muito mais vasto, dela dependera a salvação espiritual não só de Israel, mas de todas as nações, de todos os filhos de Deus dispersos pelo mundo. Portanto, pela morte de Cristo realiza-se a profecia de Ezequiel de forma muito mais ampla.
Pelo sangue de Jesus derramado na cruz, todos os homens serão purificados de seus pecados e a nova e eterna aliança será consumada. Jesus, morto e ressuscitado, será um único Rei e Pastor que reunirá todos os homens em um só povo… é este o elemento que une o evangelho a primeira leitura: a congregação dos filhos dispersos, a união dos filhos de Deus. Jesus ao oferecer a sua vida por nós, além de dar uma das provas mais contundentes do amor de Deus pela humanidade, atraiu para si os que viviam dispersos pela ignorância e pelo pecado.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.