Frases de Santos

Homilia › 10/06/2020

É pela oblação reparadora, unida à de Cristo, é o que dá sentido a toda a nossa vida

 

Elias, além das condições menos favoráveis de que dispunha, manda encharcar repetidamente o altar, a lenha, a vítima, a ponto de o sacrifício parecer impossível. Mas “o fogo do Senhor caiu do céu e consumiu o holocausto, a lenha, as pedras, a lama e até mesmo a própria água do sulco” (v. 38). O fogo do Senhor desceu, não para destruir, mas para santificar a vítima, isto é, para realizar a união entre Deus e a vítima e, por meio dela, com aqueles que fizeram a oferta. É o “fogo do Senhor” que realiza o sacrifício, porque a vítima queimada sobe para Deus “em sacrifício de suave perfume” Ex 29, 18; 29, 41; Ef 5, 2).

Animado pelo Espírito Santo, Cristo fez a sua oferta, a oblação sacerdotal e vitimal de Si mesmo ao Pai pelos homens (cf. Heb 9, 14). Nesta oblação, tal como a apresenta o autor da Carta aos Hebreus (cf. 5, 7-9; 9, 14), é realçado o sofrimento, mas sobretudo a oferta de amor. A oblação de Cristo é oblação de amor, mesmo quando é preciso sofrer e morrer.
Cristo na Cruz é consumido pelo fogo de amor do Espírito. Mas é também a partir da Cruz que nos dá o Espírito (cf. Jo 19, 34), que torna possível e eficaz a nossa própria oblação de baptizados e chamados à comunhão na oblação reparadora de Cristo, para glória e alegria de Deus, e para cooperarmos na sua obra de redenção no coração do mundo.
O fogo, que desceu no monte Carmelo, reparou a glória de Deus, posta em causa pelo culto de Baal: “Ao ver isto, o povo prostrou-se de rosto por terra, exclamando: ‘O Senhor é que é Deus! O Senhor é que é Deus!’”.
Pela fogo do Espírito, podemos também nós oferecer-nos em holocausto reparador, para que Jesus seja reconhecido e aceito em todo mundo.
Tendo em conta a antítese do evangelho, podemos dizer que oblação reparadora, unida à de Cristo, é o que dá sentido a toda a nossa vida, mesmo às coisas mais pequenas e aparentemente desprezíveis. Animados pelo Espírito derramado nos nossos corações, podemos e devemos transformá-las em oblação agradável a Deus.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.