Frases de Santos

Catequese › 11/12/2020

Dom da Inteligência

Discernimento, Talento, Entendimento e Outros

A palavra “inteligência” (do latim, intellegere), significa “ler dentro”, penetrar a fundo. No plano natural, entendemos quando compreendemos o âmago de alguma realidade. No plano da fé, entender é penetrar no íntimo das verdades reveladas por Deus. Pelo dom do entendimento, o cristão contempla os mistérios da fé. Este entendimento é diferente daquele que o teólogo obtém pelo estudo; o que é penoso e lento. Já o dom da inteligência é eficaz mesmo sem estudo; é dado aos pequeninos e ignorantes, desde que tenham grande amor a Deus.

Deus nos criou dotados de razão e livres, dependentes d’Ele tanto no que diz respeito ao corpo, como à alma. Por esse motivo, não podemos pretender a autonomia absoluta, especialmente na ordem moral; pois foi a recusa desta condição de dependência que introduziu o pecado no mundo e, o pecado, a doença e a morte.

“A Sabedoria consiste em temer o Senhor e a Inteligência está em afastar-se do mal” (Cf. Dt 4,1-8). A Inteligência não é adquirida por hereditariedade, mas é fruto do ouvir e do obedecer à Palavra de Deus. Quem aceita e acolhe a palavra de Deus adquire a Inteligência e Entendimento, mas aqueles que a rejeitam, se afastam da salvação.

Não é Deus quem condena as pessoas, sim elas próprias. Ao se fechar ao auxílio de Deus, o rejeitando, ficam onde estão: sem a salvação que a Palavra de Deus, quando colocada em pratica, lhes proporciona. Não basta apenas ouvir com o ouvido, é preciso ouvir com o coração e coloca-la em pratica.

Certa vez um irmão leigo franciscano disse a São Boaventura († 1274), o Doutor Seráfico: “Felizes vós, homens doutos, que podeis amar a Deus muito mais do que nós, os ignorantes!”. Boaventura Respondeu-lhe: “Não é a doutrina alcançada nos livros que mede o amor; uma pobre velha ignorante pode amar a Deus mais do que um grande teólogo se estiver unida a Deus.” O irmão compreendeu a lição e saiu gritando pelas ruas: “Velhinha ignorante, você pode amar a Deus mais do que o mestre Frei Boaventura!”.

Como frutos do dom do entendimento, podemos citar as intuições das verdades da fé que são concedidas a muitos cristãos durante o seu retiro espiritual ou durante uma leitura inspirada pelo amor a Deus.

O dom do entendimento revela também o horror do pecado e a profunda miséria humana. Por isso, os santos, quanto mais se aproximaram de Deus mais tiveram consciência do seu pecado ou da sua distância de Deus.

 

Fonte:

CARREIRA, Dom Joaquim Justino. Trevas ou Luz: Os pecados Capitais e os Dons do Espirito Santo. AIS, São Paulo. 2011.

AQUINO, Felipe. http://cleofas.com.br/o-dom-do-entendimento-ou-inteligencia/

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.