Frases de Santos

Formação › 28/05/2021

Cristianismo e coaching: fusão ou confusão?

A sociedade tem sido invadida por teorias que modificam a ordem natural e espiritual das coisas, quero abordar, como referência uma doutrina inusitada e antagônica aos valores do Evangelho. Estamos referindo a uma ferramenta motivacional, que vem substituindo a “Teologia da Prosperidade”, chamada de Coaching.

Coaching é uma palavra em inglês que define um processo de desenvolvimento humano, pautado em diversas ciências e técnicas para auxiliar as pessoas e empresas no alcance de suas metas, no desenvolvimento acelerado e, em sua evolução contínua. E hoje, tem Coaching para tudo.

Gostaria de deixar claro que todos têm direito de desenvolver seu trabalho com honestidade. Minha análise crítica está argumentada na seguinte questão: Os valores cristãos em relação ao Coaching, que sob minha análise, são totalmente contraditórios. O “Coaching” incentiva a prática de um evangelho humanista e antropocêntrico.

A Igreja não é um negócio, muito menos o Evangelho, nem os fiéis devem ser indivíduos que centralizam as ações em torno de si. Lamentavelmente, líderes religiosos têm modelado a igreja de acordo com o padrão de uma corporação de negócios. A voz de Deus se tem perdido no tumulto da maquinaria e no barulho da organização.

Em resumo, é um “discurso doutrinário” nitidamente individualista e antropocêntrico, onde dificilmente o conferencista vai confrontar os ouvintes a partir dos valores do Reino. Fica parecendo uma mera “pregação zen”, feita sob medida, parecida com muitos destes livros rasos de autoajuda que se vendem aos montes nos nossos dias.

Não se fala mais de pecado, de vida eterna, de tomar nossa cruz a cada dia diante do fardo da vida, de se compadecer com os mais necessitados. Esquece-se que o Evangelho não é fácil, não é uma porta larga, mas o próprio Jesus nos adverte que a porta é estreita (Mateus 7,13).

O “Coaching” ensina que o homem deve ter fé em si mesmo, utilizando para isso técnicas humanas onde o indivíduo é o centro de tudo, característica básica do humanismo que é uma doutrina fundamentalmente oposta ao cristianismo, cuja centralidade está em Deus trino e soberano, a outra é a adoração ao homem. A teologia do “Coaching” é mais um braço do pragmatismo religioso do nosso tempo onde em nome da felicidade do cliente se faz qualquer negócio desde que o objetivo seja atingido.

Nas cinco vias de Santo Tomas de Aquino encontramos a quinta via chamada “via do arqueiro” que trata dos seres que se movem em uma direção, que possuem uma finalidade, o que é facilmente verificável na vida na terra, que progride rumo a maiores níveis de organização, desde simples bactérias até modernas sociedades humanas. Santo Tomás de Aquino usa como o exemplo o arqueiro: a flecha só parte em direção ao alvo porque existe o arqueiro que mira e dispara, isto é, porque há uma inteligência guiando a flecha. O “arqueiro” do universo, por assim dizer, é Deus.

De forma especial, para nós cristãos temos um modelo (arqueiro) a nos conduzir, não a partir de nós mesmos, mas edificado nos valores do Evangelho, através da vivência das verdades de nossa fé cristã. Assim devemos buscar somente Nele, nas suas palavras e atitudes. Fiquemos atentos para não sermos ludibriados pelos “Gurus” que manipulam “a ferramenta Coaching”, pois a melhor ferramenta que se encontra, está nas mãos seguras do “Supremo Arqueiro” que é Deus nosso Pai. Inspirados pelas verdades do Santo Evangelho e de nossa doutrina, caminhemos rumo ao verdadeiro alvo de nossa existência que é a Salvação em Cristo Jesus.

César José Bueno Quirino
Pastoral da Educação e Ensino Religioso – Diocese de Piracicaba

Via: https://diocesedepiracicaba.org.br/capa.asp?na=373

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.