Frases de Santos

Homilia › 02/04/2020

Confiança em Deus, mesmo em meio as situações difíces

Sexta-feira 5ª Semana da Quaresma

Primeira Leitura: Jr 20,10-13
Salmo 17
Evangelho: Jo 10,31-42

Estamos aproximando de Jerusalém, onde será consumada a missão de Jesus. Depois de amanhã entraremos com ele em Jerusalém e participaremos de seus últimos momentos. E a liturgia de hoje já nos dá uma prévia do que o espera. “Eu ouvi as injurias de tantos homens e os vi espalhando o medo em redor: ‘Denunciai-o, denunciemo-lo’… Mas o Senhor esta ao meu lado como forte guerreiro; por isso, os que me perseguem cairão vencidos” (Jr 20,10-11). Os lamentos de Jeremias perseguido ressoam na liturgia quaresmal como expressão do sofrimento de Cristo rejeitado, caluniado, odiado de morte.

Logo na primeira leitura com o relato da perseguição de Jeremias, podemos constatar que não é fácil andar nos caminhos do Senhor. Ainda mais nos dias de hoje. Ser bom, integro, justo e honesto não é fácil, pois, há sempre os que se sentem incomodados com a justiça e a retidão dos que confiam em Deus e pautam a suas vidas em seus ensinamentos. Durante todo este período quaresmal, fomos motivados a buscarmos a conversão, a mudarmos de vida, mas sempre com os alertas das dificuldades para estas mudanças, infelizmente as tentações são grandes e estão presentes de todas as formas. É nesta hora que precisamos confiar em Deus, ate mesmo quando os amigos nos abandonam, pois Deus sempre estará ao nosso lado. Quem Confia em Deus não se sene enfraquecido, mesmo em meio as perseguições e calunias, mesmo quando os supostos amigos nos abandonem. Quem confia em Deus, sabe que a justiça a seu tempo.

Quando lemos os evangelhos, podemos notar que ao contrário de Jeremias, Jesus não invoca vingança, nem procura fugir dos inimigos. E quando vemos em um trecho ou outro, que “lhe escapou das mãos” (Jo 10,39), isso se deu por que não havia chegado sua hora. Mesmo diante da perseguição, e das tentativas de prendê-lo, Jesus continua evangelizando, e muitos creram nele (Cf. Jo 10, 42). Jesus sabe que o espera a cruz. Sua confiança no Pai tanta que ele segue a diante, cumprindo sua missão. Não era as ameaças e as perseguições que aborreceram Jesus, mas sim a falta de fé deles.

Na mortal tristeza de Cristo, encontra todo homem os próprios trabalhos e angustias santificados, e encontra também forças para não sucumbir. Refugiando-se com Jesus na Oração ao Pai: “Não o que eu quero, mas sim, o que tu queres” (Mt 26, 39), resiste o cristão aos assaltos da dor, não fica por ela transtornado, nem desrespeitado: o abandono filial e confiante à vontade de Deus capacita-o para enfrentar com simplicidade as situações mais trágicas, porque sabe não haver confusão para quem confia em Deus.

Diante de tudo isso, podemos concluir que apesar das perseguições e dos obstáculos, a semente do verbo deve ser semeada. Ela germinara no tempo certo. Se alguns rejeitam a palavra de Deus, muitos outros acreditaram e mudaram de vida. Sejamos fiéis ao nosso chamado, não podemos desistir. Pois, vemos a ação de Deus em meio a tantos conflitos e dificuldades. Basta confiar e ser fiel.

Tags:

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.