É muito comum em tempos desafiadores como estamos vivendo surgirem grandes questionamentos a respeito do porquê das coisas. Vivemos em meio a uma pandemia que parece ter feito e ainda está a fazer grandes estragos, seja na política, na economia, no campo da saúde, da educação e como também não poderia ficar de fora, no campo da religião, da fé.

Justamenteneste último é que surgem tantas indagações de suma importância, pois muitas delas estão relacionadas diretamente com o sentido da vida nesse mundo e se de fato Deus é uma realidade, porque permite tamanho caos. Essas questões com frequência retornam dependendo da gravidade das coisas. Passa crise, chega crise e as perguntas novamente aparecem, às vezes de maneira simples, outras, com nova roupagem.

As questões são sempre proveitosas, pois aí surgem ótimas oportunidades de refletirmos de maneira séria para onde estamos caminhando, para reajustarmos nossa vida, nossas escolhas, nossa família, nossa vida espiritual e tantas outras situações.

Trago aqui uma frase de São Jerônimo: “A Divina Providência tudo dirige e, o que considerais como um mal, é remédio”.

Nãoquero significar aqui, nem de longe, que tudo o que está havendo seria considerado como desígnio divino, antes de tudo, Deus quer o bem do ser humano mais do que o próprio homem deseja.

Porém os excessos do mal uso do livre arbítrio desencadeiam situações terríveis como estamos experimentando agora, e Deus permite, pois se não permitisse estaria se contradizendo, pois o livre arbítrio não passaria de uma falácia.

A questão é que Deus, sendo Onipotente, Amor e Misericórdia, consegue através de Sua Divina Providência, tirar um bem maior desse mal aparente que o homem fechado em sua própria ganância e corrupção comete.

Se Ele não pudesse fazer isso, não seria Deus, muito menos seria Amor e Misericórdia, ressaltando que o bem maior nem sempre será o que homem espera, mas o que ele precisa, a salvação da própria alma.

Nessa perspectiva, podemos encarar esse quadro caótico sem desespero, pois nada foge ao controle de Deus, se Ele está permitindo tudo isso, é o remédio, como disse São Jerônimo, que hoje essa sociedade perversa, que insulta o sagrado e afronta Deus está precisando.

Lembro-me aqui o que diz o Salmo 2:

“Por que tumultuam as nações? Por que tramam os povos vãs conspirações? Erguem-se, juntos, os reis da terra, e os príncipes se unem para conspirar contra o Senhor e contra seu Cristo. Quebremos seu jugo – disseram eles – e sacudamos para longe de nós as suas cadeias! Aquele, porém, que mora nos céus, se ri, o Senhor os reduz ao ridículo”.

Em outras palavras, podemos afirmar que o homem desencadeou o mal, afrontando a Deus e desprezando o próprio ser humano, pensando assim em sua insanidade derrotar tudo aquilo que se opõe aos seus caprichos, inclusive Deus. Mas, Deus pegará desse próprio veneno criado pelo homem, e em Sua providência transformará em antídoto para sarar a insensatez daqueles que arrogantemente pensam serem deuses.

“Quando os homens disserem: ‘Paz e segurança!’ , então repentinamente lhes sobrevirá a destruição, como as dores à mulher grávida. E não escaparão. Mas vós, irmãos, não estais em trevas, de modo que esse dia vos surpreenda como um ladrão. Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia. Não somos da noite nem das trevas (I Tss 5, 3-5).”

Deus está a falar, a Providência continua a ecoar através de Sua Palavra.

Que o Senhor nos abençoe!

Ir. Alexandre